Informativo – Ano 1 | Nº 1 | Julho/2018

Editorial

Imagine que voltamos ao início de 2015.

Dois amigos conversam sobre a falta de perspectiva no nosso país, abismados pela destruição da economia e o caos no cenário político. Eis que num surto de otimismo delirante, um deles afirma que há luz no fim do túnel, acreditando que haverá o impeachment e a recém-nata Operação Lava-jato prenderá uma dúzia de estrelas da política nacional.

Qual adjetivo seria usado pelo seu interlocutor para descrevê-lo: louco, lunático ou visionário?

Admito que o único que eu não escolheria seria: visionário.

De forma semelhante, as primeiras ideias para criação da COOESO-RJ há quinze anos geraram ceticismo em muitos, e talvez até algum grau de desdém. Um grupo de oftalmologistas, tendo à frente Paulo Cesar Fontes e Nelson Louzada, com o apoio do então Presidente da SBO, Carlos Fernando Ferreira, viram um futuro que poucos enxergavam. Sonharam e trabalharam muito para concretizar uma entidade voltada para a defesa profissional, com atributos específicos que a legitimava a intermediar a relação dos oftalmologista e serviços oftalmológicos cooperados com as operadoras de planos de saúde, que impunham congelamentos de honorários há anos e interferiam de forma danosa na relação médico-paciente, ao buscar, por exemplo, fornecer insumos cirúrgicos que eram entregues sem qualquer controle aos pacientes.

Colegas com menos de 15 anos de formados, talvez precisem confirmar com algum cabeça-branca se isto já ocorreu, tamanho o despropósito à luz das práticas atuais.

Os oftalmologistas fluminenses que entenderam que deveriam se unir em torno das suas semelhanças, aglutinar forças e dialogar tecnicamente com as operadoras, criaram um modelo de defesa profissional que, ao lado da COOFTALCE do Ceará, diminuiu o desequilíbrio entre prestadores e operadoras. O exemplo foi seguido em muitos estados do país, influenciados pela convicção dos nossos fundadores, que viajaram o Brasil para ajudar na criação de cooperativas em todas as unidades da Federação.

Nas praças onde prevaleceu a sensatez que leva ao entendimento entre concorrentes (que unidos têm algo muito maior para superar), permanecem fortes e favorecendo a todos, mesmo aqueles que não integram a cooperativa.

Quando uma parcela do mercado se valoriza baseado em fundamentos técnicos, forma-se um referencial positivo para todos, incluindo os novos profissionais que estão chegando ao mercado.

A COOESO-RJ é um patrimônio da Oftalmologia e está sempre aberta a todos que se identificam com os preceitos do trabalho honesto e profissionalismo.

Temos muitos desafios pela frente e Juntos podemos ter mais força. Esperar que alguém resolva os nossos problemas é um caminho que nunca deu certo. O protagonismo deve ser de cada um, dentro das suas possibilidades, para alcançarmos o objetivo da justa valorização do trabalho do médico oftalmologista.

Que o exemplo dos pioneiros não seja esquecido e nos motive a ter a ousadia de encarar com afinco e profissionalismo as dificuldades do nosso tempo, lembrando que a coragem e determinação deles nos permitiu ter um agora melhor.

Está em nossas mãos a decisão de lutarmos juntos, para termos um futuro melhor para profissionais e pacientes.

 

Venha para a COOESO: juntos somos e seremos ainda mais fortes!

 

COOESO-RJ em atividade

Junho/2018:

Reunião com a UNIMED Leste Fluminense, na Sede da Operadora em Niterói, no dia 04/06/2018 – Assunto: Negociação de Reajuste dos pacotes cirúrgicos e exames;

Reunião na AMB, São Paulo, no dia 08/06/2018 – Assunto: Implantes de Próteses e Órteses.

Audiência Pública, em Brasília, na Câmara dos Deputados, no dia 12/06/2018 – Assunto: Empacotamento da Consulta Oftalmológica;

Reunião com o Ministro da Saúde, no Ministério da Saúde, em Brasília no dia 12/06, acompanhada do CBO e SBO – Assunto: Pacote de Consulta Oftalmológica.

Reunião no CREMERJ, com a Operadora SOMPO SAÚDE, no dia 20/06/2018 – Assunto: Honorários e Reajustes;

Participação no Congresso SBO, nos dias 28, 29 e 30/06/2018, na pessoa do Sr. João Fernandes (Gerente Administrativo) e do Sr. Gabriel Carvalho (Comissão de Negociação). Esteve presente também o escritório de advocacia contratado da COOESO RJ, nas pessoas dos Drs. Guilherme Portes e Fernando Carrada;

 

Julho/2018:

Reunião dia 09/07/2018, na Postal Saúde – Assunto: Reajuste de Pacote de Facectomia;

Reunião dia 11/07/2018, na AMIL – Assunto: Pacotes de consulta oftalmológica e reajuste de CHS de honorários para clínicas;

Assembleia Geral Extraordinária no dia 11/07/2018, na sede da COOESO RJ – Assunto: Empacotamento de Consulta Oftalmológica – OMINT;

 

Agenda COOESO-RJ

Vem aí também:

Cursos:

  • Equipes de atendimento

Como fazer e manter uma recepção nota 10

  • Prevenção Jurídica:

O que fazer para evitar problemas da recepção à documentação

 

Glossário da Saúde Suplementar

TISS: Troca de Informações na Saúde Suplementar. Instituída em 2005, tem como objetivo padronizar todo o processo de faturamento entre prestadores de serviços e operadoras de plano de saúde, oferecer subsídios para as ações de avaliação e acompanhamento econômico, financeiro e assistencial das operadoras de planos privados de assistência à saúde e compor o Registro Eletrônico de Saúde.

TUSS: Terminologia Unificada da Saúde Suplementar. Foi estabelecida durante o processo de implantação do padrão para Troca de Informação em Saúde Suplementar (TISS), pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, em novembro de 2009. De acordo com a Instrução Normativa que a cria, as operadoras de plano privado de assistência à saúde e prestadores de serviços de saúde devem obrigatoriamente adotar a TUSS para codificação de procedimentos médicos, em sintonia com os códigos já existentes na CBHPM – Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos.